O perigo para o Brasil

A Seleção Brasileira enfrenta a fraca Seleção do Paraguai pelas quartas de final da Copa América. A maioria das pessoas já dão como certa a vaga na semifinal, mas o próprio Brasil já nos mostrou que não é bem assim.

Esse mesmo Brasil empatou com a Venezuela dando apenas um chute no gol, e levou 50 minutos para fazer o primeiro gol contra a Bolívia, pior seleção da América do Sul (de longe).

Mas aí muitos vão dizer: e a goleada por 5×0 pra cima do Peru, que era o adversário mais complicado do grupo? E eu digo que o problema é justamente esse.

Não vou tirar os méritos da ótima vitória da Seleção – 5×0 contra o Peru é um grande resultado que merece ser comemorado. O problema é que o Tite e boa parte da mídia parece achar que essa vitória veio porque o treinador “finalmente encontrou a escalação ideal” (com Everton e Gabriel Jesus jogando pelos lados). Não foi!

A grande razão foi o fato do Peru, treinado pelo bom Ricardo Gareca, ter visto como o Brasil estava jogando muito mal e achado que poderia sair pro jogo para arrancar uma vitória. Só que saiu demais, e isso deu muito espaço para o Brasil.

Sem contar nos erros que presentearam o Brasil com pelo menos dois dos cinco gols (incluindo o 2⁰ do Brasil com menos de 20 minutos de jogo, num erro grotesco do goleiro peruano).

Agora pela frente terá o Paraguai, que ao contrário do Peru, ficará bem fechado atrás, esperando uma chance de bola parada ou um erro do Brasil para roubar um golzinho e tentar frustrar a Seleção. O histórico desse time do Tite mostra que não sabe jogar contra times fechados, e isso não vem apenas dessa Copa América.

Se olharmos para a Copa do Mundo, a dificuldade que o Brasil teve contra a Costa Rica evidenciou tal dificuldade. E, se voltarmos mais um pouco, vimos como o Tite ficou nervoso naquele amostoso contra a Inglaterra antes da Copa da Rússia, quando os ingleses tinham muitos desfalques e jogaram completamente fechados, frustrando o ataque brasileiro (o jogo terminou 0x0 e o Tite reclamou da postura do ingleses após o jogo).

O Tite não pode achar que só porque enfiou cinco no Peru, que tudo está certo. Ele precisa treinar o time para furar uma retranca. Se o Brasil entrar esperando mais um Peru da vida, provavelmente se frustrará.

Se ele estiver contando com o Coutinho para desequilibrar só porque foi bem com todo aquele espaço peruano, se frustrará (eu iria com Firmino na armação, Jesus centralizado e Neres ou Richarlison em uma das pontas, e o Everton na outra ponta – esse seria o meu desenho ofensivo).

A Seleção provavelmente passará pelos paraguaios, mas não acho que será tão simples quanto foi contra o Peru… A não ser que o Paraguai dê de presente um ou dois gols.

Veremos nessa noite de quinta-feira.

Até a próxima…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s