7 conclusões da vitória do Brasil contra os Estados Unidos

A Seleção Brasileira venceu o seu primeiro compromisso pós Copa, contra os Estados Unidos em New Jersey. Como já era esperado, não foi uma grande atuação, mas podemos tirar algumas conclusões (talvez um pouco antecipadas) da vitória do Brasil por 2×0.

● A DIREITA É DO FABINHO

Todos sabem que as escolhas do Tite para a lateral-direita na Copa do Mundo da Rússia foram bem equivocadas. Por sorte do Tite, o destino acabou corrigindo o erro – se Fagner não tivesse se lesionado, ele teria sido o titular da lateral-direita, fazendo aquele básico (que é o seu limite).

Mas, com a lesão entrou o Fabinho, que todos já vinham pedindo para a Copa, e ele mostrou que joga muito mais do que os dois que Tite levou para a Rússia … outro nível. Fez o seu trabalho defensivo de forma tranquila e apoiou bem demais no ataque.

Não esqueci do Daniel Alves, mas o lateral do PSG já tem 35 anos e não fará parte do futuro da Seleção. Fabinho deve ser o novo dono da camisa 2.

● DOUGLAS COSTA > WILLIAN

Apesar do Willian ter feito uma Copa muito fraca (tirando 45 minutos contra o México), eu gosto muito do seu futebol. Acho ele um ótimo atacante que ainda pode fazer parte da Seleção. Porém, ficou claro que Douglas Costa está um nível acima do atacante do Chelsea. A jogada do primeiro gol foi clássica Douglas Costa.

Sempre que tem a bola, o atacante da Juventus leva perigo. Dribla sempre com objetividade … sempre buscando levar perigo ao gol. Hoje não tem um jogador melhor que Douglas Costa para comandar a ponta direita da Seleção Brasileira.

● ARTHUR PRECISA SER TITULAR

Todos que acompanham o Best Soccer Pack sabem que sou fã do futebol do Arthur. Ontem ele jogou apenas 30 minutos, mas já mostrou mais do que Fred, que jogou 60 minutos. Não que o meio campista do United não seja um bom jogador (ele é, e merece chances na Seleção), mas o Arthur é único.

A calma que ele tem com a bola nos pés é rara. Sempre jogando com a cabeça erguida, e raramente erra um passe. Não é à toa que Messi disse essa semana que o Arthur lembra muito o Xavi – palavras fortes do camisa 10 do Barça, que não costuma elogiar jogadores publicamente.

Por tanto tempo o brasieliro lamentou o fato do Thiago Alcântara ter optado por jogar pela Espanha … hoje temos alguém que já está prestes a superá-lo.

● NEYMAR SEGUE O MESMO

Neymar deixou o seu contra os EUA, mas não fez muito mais

Se alguém ainda acreditava que Neymar havia (como Tite disse) amadurecido, não viu nada de diferente contra os Estados Unidos. Continuou segurando demais a bola, tentando dribles desnecessários no meio do campo, com a aparente intenção de irritar o adversário (bem diferente do Douglas Costa, por exemplo).

Ontem ele fez uma partida muito fraca. Não levou perigo à meta americana, e apesar de (simbolicamente) ter marcado um gol no mesmo estádio onde fez a sua estreia com a camisa da Seleção principal (quando também marcou), não criou muita coisa. Decepção esperada!

● EVERTON MERECE MAIS CHANCES

O atacante do Grêmio mostrou ontem o que já vem mostrando nos últimos meses: é o melhor jogador em atividade no Brasil. Everton “Cebolinha” fez a sua estreia na Seleção e não pareceu sentir o peso. Atacou o adversário sem medo, criou chances e mostrou que precisa fazer parte das próximas convocações (isso em 10 minutos em campo).

Se eu sou o Tite, na terça-feira contra El Salvador eu daria no mínimo 45 minutos para o Everton – tira o Neymar no intervalo e dá a chance ao Cebolinha.

● A LATERAL-ESQUERDA É PROBLEMA DO TITE!

Peraí … um BOM problema! Ontem o Filipe Luis foi muito seguro, especialmente na saída de bola. O treinador ainda tem a sua disposição Marcelo e Alex Sandro. Tite tem 3 laterais esquerdos que estão entre os 10 melhores do mundo, e terá um problema para escolher o seu titular.

Muitos vão dizer que a escolha é fácil: Marcelo. Porém, a Copa do Mundo mostrou que na Seleção, no esquema do Tite, a escolha não é tão simples assim. De qualquer maneira, qualquer um dos três tem total capacidade de ser o titular da Seleção Brasileira … isso é indiscutível.

Coitado dos laterais esquerdos que estão surgindo no futebol brasileiro, pois não devem ter muitas oportunidades.

● O LADO ESQUERDO DO MEIO PRECISA DE AJUSTES

Em vários momentos da partida o Brasil se posicionou em campo num 4-1-4-1, com a linha de quatro a frente do Casemiro (jogou demais) sendo formada por Neymar, Coutinho, Fred e Douglas Costa. O problema é que os dois do lado esquerdo (Neymar e Coutinho) não cobrem o lado defensivo tão bem, colocando muito peso no lateral-esquerdo do Brasil.

Talvez trocar o Fred (na verdade, o Arthur, que deve ser o titular) com o Coutinho daria mais equilíbrio defensivo.

Até a próxima …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s