A ascensão meteórica de Zidane

Pouco mais de 18 meses atrás o Barcelona foi até o Santiago Bernabeu, sem Messi, e goleou o Real Madrid de Rafa Benitez por 4×0 … foi a última gota d’água.

O treinador espanhol, que já havia sido muito criticado quando foi nomeado como treinador do Real, não aguentou e foi demitido, assim abrindo as portas para Zidane pular do Real Madrid B para o time principal.

Na época a informação foi recebida com críticas de todos os tipos: desde os otimistas que lembravam mais do craque que foi Zidane, até os pessimistas que olhavam para o trabalho (não muito bom) do francês no time B e que não esperavam sucesso algum. 

Até que veio o título da Champions League. Foi sofrido (pênaltis contra o Atletico de Madrid), mas o Real conquistou seu 11° título europeu.

Porém, apesar da segunda Champions em três anos, o torcedor queria também La Liga, que não vinha desde 2012.

Jogadores comemoram título de La Liga com Zidane

E foi aí, nessa temporada de conquista da Liga e da Champions, que o trabalho de Zinedine Zidane se destacou.

Não só com o lançamento de Marco Asensio, jóia da base madrilenha, mas especialmente com o trabalho de rotação que permitiu que o Real chegasse a reta final mais preparado fisicamente que qualquer outro time.

Convencer Cristiano Ronaldo a ficar no banco em cinco partidas da reta final do Campeonato Espanhol para que ele pudesse render melhor na Champions foi o seu maior triunfo, especialmente considerando que o português não fazia um bom torneio até as quartas, quando desencantou contra o Bayern.

CR7 sempre foi um jogador preocupado com as estatísticas individuais, e pela primeira vez em muitos anos ele não estava nem no páreo para ser o artilheiro do Campeonato Espanhol – tudo pensando em títulos.

E, com o descanso o português marcou incríveis 10 gols nos últimos 5 jogos da Champions League, terminando como artilheiro isolado. Pode ter certeza que isso não teria acontecido se Zidane não tivesse convencido Cristiano Ronaldo a ficar de fora de tantos jogos do espanhol para focar na Champions.

O trabalho que Zidane fez com os reservas também foi de destaque. O francês manteve todos os atletas bem focados e motivados, no entando que os “reservas” do Real (destaque para Asensio, Lucas Vazquez, James, Morata e Kovacic) garantiram o título de La Liga com vitórias importantes fora de casa contra Granada e Celta, e em casa contra o Valencia.

Há 18 meses, Zidane era questionado. Mesmo depois da conquista da Champions League no ano passado, questionamentos continuavam. Mas, depois do trabalho perfeito nessa temporada, não dá mais para questionar – Zidane já é, sim, um dos melhores treinadores do mundo.

O presidente do Real Madrid, Florentino Perez, disse que Zidane pode ficar no Real pelo resto de sua vida. Sabemos que palavras de presidentes de clubes nem sempre carregam tanto peso assim, mas algo me diz que Zidane só sairá do Real se quiser.

Já era uma lenda como jogador … agora é também como treinador.

Até a próxima …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s